Periodização de treino: o que é e como pode otimizar seus resultados

Seja qual for o objetivo, é essencial investir na periodização de treino para alcançar os resultados almejados. Não importa se o foco é força, hipertrofia ou resistência. Da mesma forma, é indiferente falar de atleta profissional ou amador. O fato é que se deve planejar uma sequência intervalada de atividades a fim de permitir melhor proveito.

O corpo requer diferentes métodos, não bastando investir em uma única técnica ou manter sempre a mesma frequência de preparação. Por exemplo,  valer-se de um mesmo modo de treinamento, além de alavancar as chances de lesão por overtraining, limita o desenvolvimento amplo, por focar estímulos específicos e repetitivos.

Contudo, não há razões para alarde. Confira, a seguir, como melhorar o seu desempenho por meio da periodização de treino!

Periodização de treino

Em síntese, a periodização de treino divide o ano em ciclos. Tratando-se da musculação, é comum usar um macrociclo, que contempla o período de um ano. Contidos no macrociclo estão os mesociclos, que têm 3-5 meses, em média. Finalmente, dentro dos mesociclos estão os microciclos, que se referem às rotinas propriamente ditas, de um dia até uma semana, normalmente.

De forma geral, enquanto os ciclos são divididos em preparatório, competitivo e de transição, no que se refere à musculação esse modelo exigiu algumas adaptações, por se tratar de esporte não competitivo, de finalidades estéticas e de saúde. Sendo assim, foram definidas as fases como básica, específica e de destreinamento.

Vejamos em detalhes cada uma delas:

Período básico

Nessa fase inicial, o objetivo mais importante é potencializar as capacidades funcionais do organismo e os atributos físicos necessários para a finalidade planejada. É o período em que acontecem os testes iniciais para monitorar o desenvolvimento, quando se começa a preparação que servirá de apoio para o treinamento posterior.

Tratando-se especificamente da musculação, é nessa fase que se deve buscar o desenvolvimento da resistência muscular localizada e geral, da força pura e da força máxima. Por essa razão, o treino acaba tendo volume mais elevado e intensidade moderada.

O período básico compreende, geralmente, 3-4 meses, a depender dos objetivos do atleta.

Período específico

Nessa fase, a intensidade do treino aumenta e o volume diminui. Quer dizer, depois de ter consolidado uma boa base no período anterior, o esportista percebe resultados mais evidentes e sente o treino se tornar mais “pesado” nessa nova etapa.

Há um ponto de atenção, entretanto: é essencial assegurar-se de que houve um período básico bem trabalhado. Do contrário, o atleta tende a sofrer com prejuízos irremediáveis.

Dada a importância de uma base adequada, é boa prática até mesmo aumentar o período de treinamento básico, criando uma “margem de segurança”.

Período de destreinamento

Por último, o destreinamento corresponde ao período de descanso, ou seja, as férias. Nessa fase, a pessoa não deve se abster de treinar, mas realizar atividades leves, sempre mantendo-se ativa, com o intuito de não perder todo o condicionamento e a estrutura muscular que conquistou nos períodos anteriores.

Apesar de ser uma espécie de pausa, é uma fase muito importante, pois é quando o corpo se recupera de todo o estresse físico e se prepara para o início de um novo ciclo.

Resumindo, não importa se o foco é o treinamento competitivo ou de ganho muscular. Adotar a periodização concede ao corpo a preparação da qual necessita para responder da melhor forma possível aos estímulos a que será submetido.

Você mantém uma periodização de treino? Deixe o seu comentário e compartilhe conosco as suas experiências!