Óleo de prímula: mais um aliado para aliviar os sintomas da TPM

Você já ouviu falar em prímula? Este nome caracteriza um gênero botânico, mais comumente encontrado na América do Norte, que dá origem a um tipo de flor de várias colorações, muito usada para decorar ambientes e jardins.

Mas, mais do que uma bela opção de ornamento, a prímula também se tornou um interessante componente alimentar, já que de sua semente é extraido um tipo de óleo que é considerado essencial para a saúde humana. Rico em ácido gama-linolênico, que é um ácido graxo não sintetizado por nosso organismo, o óleo de prímula foi associado à melhora dos sintomas de um ingrato período metabólico feminino: o período pré-menstrual, que causa a tão temida TPM. Confira mais informações logo abaixo.

O que é a TPM?

Não se sabe exatamente qual é a causa dos sintomas desagradáveis da tensão pré-menstrual, mas este período é cientificamente conhecido e manifestado em grande parte das mulheres, alguns dias antes da presença da menstruação. O que se sabe é que os sintomas da TPM são ocasionados por alterações hormonais, que passam pela elevação da produção de estrogênio e redução da produção de prostaglandina, durante o período menstrual. Estas alterações seriam responsáveis por alterações de humor, inchaço corporal, piora da qualidade da pele, cólicas e inflamações na região uterina.

Como o óleo de prímula pode ajudar no controle da TPM?

Funciona como anti-inflamatório natural

O ácido gama-linolênico é da família de ácidos graxos ômega 6, que são conhecidos por sua característica anti-inflamatória. A ingestão deste tipo de óleo, no período pré-menstrual, pode diminuir o desconforto causado por pequenas inflamações uterinas, comuns na menstruação, como cólicas e sensibilidade na região.

Deixa a pele mais bonita

Este mesmo ácido graxo também é responsável por promover alterações na resposta hormonal feminina, aumentando a produção de prostaglandina, que fica em baixa durante o período menstrual. A redução deste hormônio é responsável por várias alterações corporais, sendo uma delas a piora da qualidade da pele, promovendo o ressecamento e o surgimento de lesões, como espinhas. Com a prostaglandina em níveis aceitáveis, a pele consegue manter seu brilho e elasticidade.

Ajuda a fortalecer o sistema imunológico

Outra característica do ômega 6 é a melhora significativa da nossa resposta imunológica. Como o período menstrual é relacionado com o aumento de pequenas inflamações na região (por causa do rompimento natural do endométrio, após a ovulação), o consumo deste tipo de óleo pode permitir uma resposta melhor do nosso organismo, causando menos dores e desconfortos.

Diminui a sensação de inchaço

O consumo de óleo de prímula é relacionado também com a diminuição da retenção hídrica, outra característica comum do período pré-menstrual. Retendo menos líquido, os inchaços na região abdominal, no rosto, membros superiores e inferiores, serão menos frequentes.

Ajuda no controle das alterações emocionais

Outra característica do aumento da produção de prostaglandina, causado pelo consumo de ácido gama-linolênico, é a melhora nas alterações de humor, que é o sintoma mais conhecido da TPM.

Como consumir o óleo de prímula?

É possível encontrar o óleo de prímula em cápsulas, mas se você optar por consumo do óleo puro, ele dever ser adicionado cru ao seu prato de comida, sem passar por processo de aquecimento, que pode desnaturar seus ácidos graxos essenciais. Se optar por consumo em cápsula, o recomendado é uma unidade ao dia, para promover alterações benéficas no organismo feminino.

E então, você já conhecia o óleo de prímula? Já utilizou este alimento para melhorar seus sintomas de TPM? Conte suas experiências para nós e tire suas dúvidas deixando um comentário logo abaixo!