Lactose: por que algumas pessoas têm intolerância?

Dores de barriga, flatulência, náuseas e até vômitos. Você tem algum destes sintomas quando ingere um copo de leite ou algum de seus derivados? Fique atento porque você pode estar apresentando um quadro de intolerância a lactose.

Quer entender como surge esta doença e porque algumas pessoas apresentam este tipo de problema? Venha descobrir tudo isto e muito mais neste texto!

Intolerância a lactose: o que é isso?

A intolerância a lactose é o nome dado por médicos e profissionais da área da saúde para a incapacidade do organismo de digerir a lactose, que é o carboidrato encontrado no leite e seus derivados. Esta incapacidade, que pode ser parcial ou total, de digestão deste açúcar é causada pela falta ou redução da produção de uma enzima específica deste processo, chamada de lactase. Sem ela o organismo não consegue absorver a lactose, causando diversos sintomas gastrointestinais, como os citados no início deste texto. A intolerância pode ser classificada em três apresentações:

  • Congênita: apresentação genética da doença. Neste caso a criança já nasce sem conseguir produzir a enzima. É considerada sua forma crônica e o tratamento deverá ser realizado por toda a vida, mas é também sua forma mais rara.
  • Primária: nesta apresentação temos uma redução da produção de lactase naturalmente ao longo da vida, especialmente após a adolescência. Esta é uma condição normal do organismo humano e é a forma mais comum da doença.
  • Secundária: algumas doenças intestinais que têm como sintoma principal a diarreia, como doença de Crohn, síndrome do intestino irritável e doença celíaca, podem aumentar a eliminação desta enzima pelo trato gastrointestinal. Esta eliminação aumenta consideravelmente a intolerância ao açúcar do leite. Nestes casos ela pode ser momentânea e é resolvida com o tratamento da doença principal.

Porque algumas pessoas apresentam estes sintomas e outras não?

Como descrevemos no item acima a presença da intolerância à lactose no organismo do indivíduo depende de fatores intimamente relacionados com a predisposição genética, o envelhecimento ou a presença de alguma doença. Muitos indivíduos, especialmente aqueles que fazem uso regular de leite ou seus derivados na alimentação, têm uma redução menor da produção de lactase ao longo da vida, já que a produção desta enzima é estimulada pela presença do açúcar no organismo. Estas pessoas, se não apresentarem condições genéticas ou intestinais que afetem a produção desta enzima, vão ter naturalmente uma tolerância maior ao leite e seus derivados do que aqueles que apresentam estes sintomas.

Existe alguma doença relacionada com este tipo de intolerância?

Não existe nenhuma doença específica que desenvolva a intolerância a lactose. Como afirmamos no primeiro item, ela pode ser uma patologia secundária a algum problema intestinal, mas esta afirmação não é uma regra: muitos indivíduos podem apresentar distúrbios intestinais e não manifestar sintomas de intolerância a lactose.

Como é o tratamento da intolerância a lactose?

O tratamento desta intolerância é exclusivamente dietético. A retirada total da lactose da alimentação cessa imediatamente os sintomas que surgem com esta doença. Alguns médicos têm o costume de prescrever cápsulas de lactase para ajudar estes indivíduos intolerantes a consumir leite e seus derivados sem sofrer com as consequências deste quadro.

Ela é igual a alergia ao leite?

Não. Elas são doenças completamente diferentes. Enquanto a intolerância é um quadro relacionado à ingestão do açúcar do leite, a alergia ao leite é um problema genético relacionado à proteína do soro deste. Quem é alérgico, além de não poder ingerir este alimento, usualmente tem sintomas de quando consome este produto, como edemas e manchas por todo o corpo e até fechamento da glote. A alergia ao leite também não tem cura e seu único tratamento é a exclusão destes alimentos e seus derivados da alimentação.

Agora que você entende tudo de intolerância a lactose, fique ligado: indique este texto para os seus amigos para alertá-los dos sintomas.