BCAAs: conheça o suplemento que realmente funciona!

Quer aumentar sua massa magra e já tentou tudo que não funcionou? Então não perca esse post. Falaremos tudo sobre o suplemento mais famoso entre os praticantes de musculação e que realmente funciona quando o assunto é hipertrofia: o BCAA. Veja abaixo tudo sobre o assunto e a importância de incluir esse item na sua alimentação diária.

O que é

BCAA é uma abreviatura de Brenched Chain Amino Acids, que quer dizer aminoácidos de cadeia ramificada. Em sua composição contém três aminoácidos – L-Isoleucina, L-Leucina e L-Valina – que não podem ser produzidos pelo corpo humano (aminoácidos essenciais) e só são adquiridos através da ingestão de alimentos ou suplementos.

Como funciona

Durante um treino intenso, o corpo entra em estado catabólico: há a diminuição do tamanho e da função celular e, além disso, algumas estruturas são rompidas, como a musculatura. O corpo “pega” aminoácidos dos músculos para suprir esse déficit de energia, causando perda muscular.

Nesse contexto, os BCAAs atuam no transporte de nitrogênio, que auxilia os músculos a continuarem sintetizando outros aminoácidos necessários para a produção de fibras musculares (anabolismo) e consequentemente, não entrarem em catabolismo.

Além disso, os BCAAs estimulam e elevam a produção de insulina – hormônio anabólico, que promove a entrada de glicose e aminoácidos nas células, servindo de base na construção de músculos e resultando em energia para o treino.

Benefícios

Em suma, pode-se afirmar que os benefícios da ingestão de BCAAs são: elevar os níveis de energia durante o treino, ação anticatabólica, reduzir a fadiga física, fornecer aminoácidos necessários para os músculos e estimular a síntese de proteínas, recuperando as lesões da fibra muscular, causadas durante os treinos intensos.

Uma pesquisa divulgada pelo Journal of International Society of Sports Nutrition, aponta os benefícios dos BCAAs na melhora da performance em exercícios, na redução da fadiga mental e até na recuperação pós exercícios.

Alguns estudos ainda comprovam que o suplemento em questão melhora os sintomas e até previnem a dor muscular sentida no dia seguinte de um treino intenso, chamada de Delayed Onset Muscle Soreness (DOMS) ou dor muscular tardia.

Como usar

Para poder suprir todas as necessidades citadas no artigo, o melhor momento para consumir esse suplemente é imediatamente antes e depois dos treinos (cerca de trinta minutos de espaço da atividade). Pode-se ser encontrado para todos os gostos: sob a forma de tabletes, em pó, em cápsulas ou na forma líquida.

O melhor é que o produto possui rápida absorção. De início é absorvido pelo intestino e fica disponível diretamente nos tecidos, podendo ser usado como fonte de energia rápida. Após o treino, seu conteúdo se encontra na circulação – ideal para o processo de reconstrução da musculatura já apresentado.

Vale lembrar que nenhum suplemento define por si só a musculatura, apenas associados a exercícios físicos e uma alimentação equilibrada você atingirá os resultados almejados. Para um uso certeiro, consulte um especialista, que definirá a quantidade ideal para seu organismo associando-a aos objetivos traçados.

Gostou do post? Siga-nos também no facebook e fique por dentro de todas as novidades.