Alimentação pré e pós-treino: qual deve ser a diferença?

Todo atleta sabe que, quando se trata de melhorar os resultados nos treinos, a alimentação é um fator fundamental para alcançar as metas. Nem todos tem consciência, no entanto, de que a alimentação antes e depois das atividades físicas são diferentes e que devem ser realizadas de forma correta, com os ingredientes necessários para suas funções.

Você sabe o que comer em cada um desses momentos? Vamos ensinar tudo sobre isso no artigo de hoje! Confira!

Alimentação pré-treino

Antes do treino o corpo precisa de carboidratos, de preferência os que liberem energia mais rápido, para que melhorem rapidamente seu desempenho nas atividades. Eles são os carboidratos de alto índice glicêmico, que podem ser encontrados em alguns tipos de frutas, na batata-doce e no mel, por exemplo. Esses nutrientes evitam que o corpo utilize as proteínas musculares como fonte energética, fazendo a reposição do estoque de glicogênio.

Além da glicose, durante o treino são consumidos vários aminoácidos, por isso também é interessante inserir a proteína nessa refeição. Para que o corpo consiga absorver e armazenar bem esses nutrientes, o recomendado é comer em torno de 40 minutos antes do treino e em quantidades moderadas. Consumir muita comida concentra o fluxo de sangue no estômago, o que prejudica a eficiência do exercício e pode até mesmo causar congestão, vômito e mal-estar.

Alimentação pós-treino

Após o treino deve-se fazer uma refeição que inclua o nutriente construtor: a proteína, essencial para a síntese muscular. Aminoácidos de alta qualidade são encontrados em ovos, carnes magras, queijos brancos e grãos como soja, grão-de-bico e lentilha.

Além disso, coma uma quantidade pequena de carboidratos para repor o glicogênio perdido. Para esse momento são recomendados os carboidratos de baixo índice glicêmico, que podem ser encontrados em alimentos ricos em fibras como bolachas integrais, pães, cerais e outros que demoram mais tempo para serem digeridos.

Pode-se perceber que as necessidades são bastante diferentes entre as refeições pré e pós-treino, não é? O acompanhamento de um profissional qualificado torna-se indispensável, portanto, para o planejamento do que deve ser ingerido em cada etapa.

Uso de suplementos

A suplementação é muitas vezes utilizada por sua praticidade e eficácia. Se acompanhada por um profissional não há contraindicações, mas vale lembrar que a suplementação pré-treino também é distinta da pós-treino.

Antes de treinar, invista em compostos termogênicos, responsáveis por elevar a temperatura e a taxa metabólica corporal, facilitando a queima de gordura, e repositores de glicogênio (especialmente para exercícios de alta intensidade), a fim de manter os níveis glicêmicos estáveis.

Para depois do treino foque em suplementos de recuperação, como antioxidantes e compostos proteicos, responsáveis por proteger o corpo da ação dos radicais livres produzidos durante a atividade e pela reconstrução do tecido muscular, respectivamente.

Descansar é preciso

Você deve saber que apenas uma alimentação eficiente e exercícios contínuos não são suficientes para um desenvolvimento muscular eficaz. Toda atividade física de alta intensidade demanda uma rotina de sono de pelo menos oito horas, tempo necessário para o corpo, em baixo consumo de energia, concentrar-se na recuperação muscular.

Neste artigo vimos quais são as diferenças entre a alimentação antes e depois do treino e a importância do descanso. Vale frisar, ainda, que recomendamos fortemente o acompanhamento de um profissional: conselhos bem embasados e outros cuidados médicos são indispensáveis para desenvolver seu corpo com saúde e sem excessos.

E então? Esse post foi útil para você? Compartilhe nossas dicas com seus amigos nas suas redes sociais!