Afinal, o que é melhor: comer o ovo inteiro ou só a clara?

Não importa se é preparado frito, cozido, ou mexido, desde sempre o ovo faz parte da nossa alimentação. A inclusão do ovo na dieta sempre foi motivo para polêmica e discussões. Há pessoas que ainda têm duvidas sobre a quantidade que deve ser consumida durante a semana, mas, principalmente, se é preciso comer o ovo inteiro ou só a clara. E para responder essas e outras duvidas, preparamos esse post para esclarecer tudo o que você precisa saber sobre o ovo e seu consumo. Continue com a gente e descubra a seguir!

Os benefícios da clara do ovo

Por anos tida como o “mocinho”, a clara de ovo era mantida na dieta principalmente pelos praticantes de musculação que desejavam ganhar massa muscular. A albumina, que é a proteína encontrada no ovo, tem grande quantidade de aminoácidos essenciais que auxiliam na reconstrução muscular.

Ela também fornece energia e disposição, pois são repletas de vitaminas do complexo B, como potássio, fósforo e ferro. Para quem quer perder peso e fazer a manutenção dele, a albumina se torna uma grande aliada. Dentre as proteínas, a albumina possui uma absorção mais lenta pelo organismo, favorecendo o poder de saciedade, retardando a vontade de comer.

A gema aumenta o colesterol?

Existe uma grande diferença entre o colesterol presente nos alimentos e o colesterol que a gente absorve. A gema de um ovo contém cerca de 200ml de colesterol. O fato de ter consumido a gema do ovo não significa que absorvemos essa mesma quantidade de colesterol. Estudos científicos já demonstraram e comprovaram que as doenças cardíacas são originadas principalmente pelos maus hábitos, como a ausência de atividades físicas e a ingestão em excesso alimentos ricos em gorduras trans que contribuem para o aumento do colesterol ruim e o aparecimento de doenças cardíacas. Os ovos não estão associados a esses problemas.

O ovo contém tudo que você precisa

O ovo é o segundo alimento natural existente mais completo em nutrientes, perdendo somente para o leite materno. Nele, você encontrará ácidos graxos saturados, ácidos graxos insaturados, 14 minerais, 20 aminoácidos, 12 vitaminas, além de ser rico em proteína. Tanto que basta comer um ovo para ter 20% da necessidade diária de proteína.

Também existe no ovo duas substancias chamadas luteína e zeaxantina, que são ótimas para a saúde dos olhos. Elas previnem a catarata e a retinose pigmentar, além de auxiliarem no combate a degeneração macular nos olhos (doença relacionada a idade que compromete a visão central e a capacidade de distinguir as cores). Há uma outra substancia encontrada chamada lecitina, que possui vários benefícios: regula os níveis de triglicerídeos no sangue, previne a arteriosclerose, combate o diabetes e evita o envelhecimento precoce.

Quantos ovos são permitidos comer por dia?

Depende de suas condições de saúde e de como irá prepará-lo. Alguns fatores como a idade, condição física e estilo de vida irão definir essa resposta. Um atleta de fisiculturismo, por exemplo, chega a comer uma dúzia e ovos por dia. A outra questão que irá influenciar no consumo é com relação ao preparo do alimento. A grande maiorias das pessoas consomem o ovo frito, e a quantidade de fritura que se ingere dessa forma pode fazer mal a saúde, não o ovo em si. Opte pelo ovo mexido ou cozido, pois são mais saudáveis.

Se você não é atleta e preparou o ovo corretamente, há estudos afirmando que pessoas com boas condições de saúde podem comer um ovo por dia que não terá nenhum tipo de risco.

Uma dica: prefira os ovos caipiras ao invés dos de granja. Eles não possuem hormônios artificiais e são muito mais nutritivos, além de possuírem quase 20 vezes mais ômega 3 do que o ovo de granja.

Se seus amigos também estão com duvidas sobre colocar o ovo na dieta, compartilhe essa matéria com eles e nos siga no facebook.