11 mitos sobre uma alimentação saudável

Nem tudo é o que parece – já diz o ditado que cada vez faz mais sentido quando o assunto é manter uma alimentação saudável. Alimentos que antes eram vilões, como o ovo, por exemplo, passam a ser aliados e vice-versa.

Quer seguir uma dieta balanceada? A gente dá aquela forcinha mostrando que aquela granola nossa de cada dia pode não ser uma boa opção para o café da manhã, entre outras coisinhas. Lembrando que moderação é a palavra de ordem, afinal, elefante só come folha e isso não faz dele um animal magrinho, né?!

Ovo faz mal

De todos os alimentos que compõem uma dieta saudável, o ovo é, de longe, o mais polêmico. Já teve seus dias de vilão ameaçador da saúde do coração devido à sua alta concentração de colesterol, mas agora ele é até um aliado de quem quer garantir um corpo mais saudável.

Os estudos mais recentes comprovam que o colesterol dos ovos não influencia no colesterol total do ser humano. Na dúvida, foque nas claras, que são excelentes fontes de proteínas, e reduza a ingestão de gemas.

Glúten engorda

Novo ingrediente destruidor de um cardápio funcional, o glúten tem sido perseguido sistematicamente por quem quer emagrecer. Trata-se de uma proteína presente no trigo, no centeio e na cevada, cereais que estão em pães, bolos e massas em geral.

O glúten em si, não é calórico, mas como a proteína está presente nas massas, tradicionalmente calóricas, criou-se o mito de que ele engorda. A teoria só será verdadeira se os alimentos com glúten forem trocados por outros mais saudáveis, mas apenas cortar o ingrediente não garante quilos a menos na balança.

Há pessoas que têm intolerância ou alergia ao glúten e aí o corte é fundamental para o bem estar do organismo. Para as demais, o corte é desnecessário.

Pão integral emagrece

Essa balela é repetida por muitas pessoas que optam por uma vida mais regrada, mas a verdade é que o pão integral tem a mesma quantidade de calorias do pão branco. A diferença fundamental entre eles é que o pão integral é mais rico em micronutrientes e fibras, que melhoram o funcionamento do intestino e contribuem para saciedade.

Açúcar só prejudica a saúde

Inúmeros estudos comprovam que o uso excessivo do açúcar pode causar diabetes, obesidade, câncer e até hipertensão arterial, segundo dados recentes, entre outros males. No entanto, não se deve excluir o alimento do cardápio de forma drástica.

Isso porque o açúcar é uma importante fonte de energia e deve corresponder a 10% das calorias ingeridas ao longo do dia. Vale lembrar que há versões menos prejudiciais dessa delícia doce, como o mascavo e o demerara, que são menos processados.

Café dá gastrite

Esse é outro item da alimentação do brasileiro atacado de tempos em tempos. Pesquisas recentes revelam que não há evidência de que a gastrite esteja associada ao consumo do café.

A ingestão moderada do grão por indivíduos saudáveis não faz mal nenhum à saúde, muito pelo contrário. Rico em antioxidantes, o café previne o desenvolvimento de diabetes tipo 2, asma, cirrose alcoólica e algumas doenças degenerativas como Parkinson e Alzheimer. A quantidade indicada são 300 ml por dia para um adulto saudável.

Há pessoas que são mais sensíveis aos efeitos da cafeína e, para essas, o mais indicado é mesmo evitar o consumo.

Chocolate dá espinha

De todos os alimentos que ameaçam a conquista do corpo perfeito, o chocolate é o que causa mais desespero. Paixão proibida de nove em cada 10 pessoas, a delícia calórica é “atacada” por todos os lados: engorda, dá espinha. Que é calórico, não há dúvidas, mas a boa notícia é que ele não é o causador das espinhas.

A acne (nome científico das temíveis erupções cutâneas) é provocada pela elevação de hormônios sexuais, em especial, na adolescência. O problema é que o aumento dessas substâncias pode estar associado a questões emocionais, intimamente relacionadas à ingestão exagerada do doce, que causa uma sensação imediata de prazer e alívio.

A notícia melhor ainda é que as versões mais amargas – porém não menos deliciosas – estão liberadas. Rico em flavonoides, o chocolate com pelo menos 70% de cacau ajuda a prevenir o envelhecimento precoce da célula. Claro que, como todos os itens dessa lista, deve ser consumido com moderação.

Cortar carboidratos faz bem à saúde

Isso não é verdade. Os carboidratos estão presentes em diversos alimentos saudáveis como cereais, frutas e legumes e não causam nenhum mal à saúde, uma vez que são uma importante fonte de energia para o corpo.

É graças a ele que conseguimos desempenhar atividades simples como caminhar, correr e trabalhar, portanto, não se deve demonizar a substância de forma indiscriminada. Uma refeição completa se faz com doses moderadas de proteínas, vitaminas e carboidratos.

O que devemos reduzir é a ingestão dos chamados “carboidratos do mal”, ou seja, aqueles industrializados, presentes em pães, doces, biscoitos e massas em geral.

Cortar gorduras é a maior forma de eliminar peso

Como já foi dito, a regra é a moderação, o que significa não cortar nenhum tipo de alimento do cardápio porque, fatalmente, você substituirá o item cortado por outro. No caso das gorduras, a substituição ‘natural’ é o açúcar, o que é ainda pior.

As gorduras boas são necessárias para a saúde do cérebro, coração e nervos, então, tirá-las da dieta não é uma opção inteligente e isso não significa que você deve ir à churrascaria mais próxima pedir a carne mais gordurosa e fazer disso a sua rotina alimentar. Há opções bem mais saudáveis presentes em alimentos como azeite, abacate, castanhas, nozes e sementes em geral, bem como em carnes brancas e vermelhas, leite e derivados.

Todas fazem muito bem à saúde se consumidas moderadamente. Para ter um parâmetro, a OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que 20 a 30% da quantidade de calorias ingeridas por dia seja feita em forma de gorduras.

Granola faz bem

Não é bem por aí. É verdade que ela contém carboidratos e gorduras “do bem”, mas daí a ser 100% saudável é outra história. Algumas versões são bastante calóricas e contêm grande quantidade de açúcar, portanto, é bom ficar atento ao rótulo.

Barrinha de cereal é sempre um lanche saudável

Outra inverdade presente nos lanches de quem não quer sair da linha e saciar aquela fome indiscreta que bate no meio do expediente. Embora as amêndoas e frutas secas que compõem esses produtos sejam realmente saudáveis, as barrinhas de cereal são ricas em corantes artificiais e outros ingredientes nada saudáveis – sem mencionar as opções com chocolate, que são sempre as mais saborosas.

Se a ideia é enganar a fome antes do almoço ou no meio da tarde de forma saudável e pouco calórica, opte pelas versões in natura das oleaginosas (nozes, amêndoas, pistache, castanhas etc.) e frutas secas.

Alimentos orgânicos são sempre mais saudáveis

Cada vez mais adorados por celebridades e legítimos representantes da geração fitness, os alimentos orgânicos são apontados como fundamentais no processo de emagrecimento. De fato, eles são mais benéficos à saúde por serem menos expostos à ação dos pesticidas, mas isso não significa que eles tenham mais nutrientes do que os não orgânicos.